Na semana passada, mencionamos aqui brevemente a nova música de Rihanna, chamada “What’s My Name”. Agora chegou o momento de voltar os holofotes para ela.

“What’s My Name” foi escolhida como segundo single de “Loud”, o mais recente CD da cantora barbadiana. A canção traz o canadense Drake como artista convidado.

Aqui no Brasil, Drake não é tão famoso, mas entre suas participações mais recentes estão os backing vocals em “Un-Thinkable”, de Alicia Keys, bem como uma participação maior no remix oficial da faixa.

Em algumas ocasiões, Rihanna havia declarado publicamente sua vontade de trabalhar com o rapper. Ela disse em uma entrevista:

“Drake é o rapper mais requisitado do momento, e nós sempre quisemos trabalhar juntos. Eu sempre tive certeza que ele era a única pessoa que poderia entender de verdade a canção. No momento que ele a ouviu, ele me disse: ‘Já sei exatamente o que fazer. Amei a música.’ E ele fez de verdade, e em apenas três dias.”

O single foi um sucesso instantâneo. Em pouco tempo atingiu a primeira posição da Billboard Hot 100 – antes mesmo que “Only Girl (In This World)” (o lead single de Loud) conseguisse isso. Até o momento, Rihanna possui 8 músicas que chegaram ao primeiro lugar na parada oficial americana, sendo que quatro delas emplacaram a liderança em um espaço de apenas um ano.

“What’s My Name” é aquele tipo de música que você já gosta desde a primeira execução. Sua sonoridade R&B com elementos pop lembra bastante “Te Amo”, que Rihanna lançou como single no ano passado.

Quanto à participação de Drake, ela é limitada aos versos iniciais. Após a introdução, Rihanna assume sozinha a performance da canção. Não sou um grande apreciador desse clichê fonográfico, de todo artista pop convidar um rapper para  acrescentar pouco (ou às vezes nada) à melodia. Em “What’s My Name”, Drake poderia facilmente ser dispensado, mas sua presença não é algo que irá espantar os ouvintes.

Ouvir: Rihanna featuring Drake – What’s My Name

Anúncios