março 2011


Um grande hit dos anos 80 foi a canção “Eternal Flame”, gravada pelo quarteto feminino The Bangles. A faixa serviu como segundo single do disco Everything, lançado pelo grupo em 1989. Na época, a música estourou nas rádios de todo o mundo. Pegou o primeiro lugar das paradas em 6 países (incluindo EUA e Reino Unido) e apareceu entre as 5 melhores em outras cinco nações.

Em 2001, o trio pop britânico Atomic Kitten fez uma versão de “Eternal Flame” para o relançamento de Right Now, o primeiro CD. O cover foi enviado às rádios e também se tornou um grande sucesso: conquistou a primeira posição no Reino Unido, e apareceu entre as 5 melhores de 10 países diferentes.

Susanna Hoffs, vocalista do Bangles e também coautora da canção, gostou tanto do cover feito pelas meninas que mais tarde se juntou a Billy Steinberg e Tom Kelly (os outros compositores de “Eternal Flame”) para escrever “Love Doesn’t Have To Hurt” , música feita especialmente para ser inclusa no segundo CD das Atomic Kitten, chamado Feels So Good e lançado em 2002.

 

Duas versões diferentes foram gravadas pela Atomic Kitten: a primeira é bem similar à música original do Bangles. A segunda, com mixagem diferente e vocais regravados, ficou disponível apenas no CD-Single e foi utilizada no videoclipe.

 

Atomic Kitten – Eternal Flame [Versão Álbum]

 

Atomic Kitten – Eternal Flame [Versão Single]

 

The Bangles – Eternal Flame

Anúncios

Adele é mais um exemplo de como a internet pode dar aquele impulso na busca da fama. Em 2007, a jovem britânica postou em seu perfil do MySpace três canções suas. Isso atraiu a atenção da gravadora XL Recordings, que ofereceu à moça um contrato. Em 2008, Adele lançou 19, seu primeiro disco, e foi um sucesso de vendas no Reino Unido e em alguns países europeus.

Em janeiro de 2011, chegou às lojas o segundo trabalho da cantora e compositora, chamado 21 (só para constar, os nomes dos dois discos, 19 e 21, são referências à idade que ela tinha na época em que as canções foram criadas). E foi com este segundo CD que Adele entrou no disputado mercado musical norteamericano e ganhou bastante destaque, principalmente após uma apresentação ao vivo no programa Saturday Night Live.

A primeira música de trabalho de 21 chama-se “Rolling In The Deep”. Composta por ela mesma ao lado de Paul Epworth, a faixa foi descrita por Adele como uma “música com sonoridade dark, com influências de blues e disco”. Com vocais bem poderosos, “Rolling In The Deep” que tem uma ponta de nostalgia – em alguns momentos você até diria que a música é dos anos 70.

No Reino Unido, “Rolling In The Deep” foi um enorme sucesso, e pegou a medalha de prata na parada oficial britânica. O single conseguiu se infiltrar na Billboard Hot 100 e atingiu a 13ª posição da lista americana. “Rolling In The Deep” também está tocando no Brasil e apareceu na posição 31 da Hot 100 Singles nacional.

Esta música já estava rolando nas rádios há algum tempo, mas nunca teve a chance de passar por aqui ou pelo blog anterior. Trata-se do novo single de Wanessa (ex-Camargo) chamado “Worth It”.

Desde 2009, Wanessa tem apostado em uma sequência de músicas em inglês para divulgar seu trabalho. Depois do bem-sucedido “Fly (Meu Momento)”, vieram “Let Me Live (Não Me Leve A Mal)”, “Falling For You” e agora “Worth It”. As duas últimas estão presentes no EP Você Não Perde Por Esperar, lançado pelo portal UOL somente no formato digital.

“Worth It”  leva a assinatura dos norteamericanos Michael Jay e Johnny Pedersen e foi gravada originalmente por uma cantora taiwanesa chamada Elva Hsiao, sob o titulo “Beauty Encounter” (confira o link abaixo). A versão de Wanessa teve a produção de Mr. Jam, que também compôs e produziu o seu single anterior, “Falling For You”.

Além de bastante executada nas rádios brasileiras, o jornal “O Dia” noticiou que”Worth It” recebeu airplay na Espanha e apareceu em uma das paradas oficiais do país na oitava posição.

No momento, Wanessa está em estúdio finalizando seu próximo álbum, que será todo em inglês e com faixas dance-pop. Sobre a possibilidade de arriscar uma carreira internacional, a cantora diz que ‘está preparada, mas não tem planos’.

 

Wanessa – Worth It

 

Elva Hsiao – Beauty Encounter

De todas as boy-bands que surgiram em fins da década de 90 e início dos anos 2000, poucas continuam na estrada até hoje. Entre estas estão os irlandeses do Westlife.

Após uma planejada pausa de um ano, os rapazes retornam com Gravity, seu décimo primeiro álbum. A primeira canção escolhida para divulgação é “Safe”, uma clássica balada pop-rock. A faixa foi composta por John Shanks e James Grundler. John Shanks já produziu diversas canções para muitos artistas famosos, e também já compôs grandes hits. Entre os mais recentes estão “When I Look At You” e “The Climb”, ambas gravadas por Miley Cyrus.

Em uma entrevista concedida ao website oficial do Westlife, Shanks e Grundler explicaram o tema de “Safe”:

“Os versos foram escritos por uma perspectiva de fora – por exemplo, é como se você estivesse olhando para uma pessoa de longe e você se interessa pelo que acontece com ela. Mas toda vez que você a vê, parece que ela está passando por um momento realmente difícil em sua vidas. Então você deseja que, nem que fosse por um momento, você pudesse ajudar para que tudo ficasse melhor.”

Shane, um dos integrantes do Westlife, também se expressou sobre sua visão de “Safe”:

“Acho que em termos de letra, ‘Safe’ é uma música muito positiva. É bem forte, e fala sobre manter alguém seguro e protegido. Acho que qualquer pessoa no mundo pode se identificar com ela. Todo mundo quer se sentir seguro, todo mundo quer se sentir protegido (…) ‘Safe’ é uma das melhores canções que tivemos depois de muito tempo”.

“Safe” pegou a quarta posição na Irlanda e a 10ª no Reino Unido. Não há previsão de lançamento da canção no Brasil, já que os singles do Westlife não são enviados às rádios nacionais desde 2002. Com sorte, talvez pelo menos o CD chegue às lojas.

Os Backstreet Boys têm trabalhado bastante recentemente, dedicando-se principalmente às turnês mundiais. Paralelo a isso, Nick Carter, um dos membros do grupo, lançou seu segundo disco solo no início de fevereiro de 2011.

O novo trabalho chama-se I’m Taking Off, e foi lançado pouco mais de oito anos depois de seu primeiro projeto solo, o álbum Now Or Never, de 2002. A primeira música de trabalho do novo disco chama-se “Just One Kiss”, uma balada romântica pop com influências de rock.

Em um vídeo gravado especialmente para a imprensa, Nick Carter explica o significado de “Just One Kiss”:

“Eu acho que ‘Just One Kiss’ é a música perfeita para lançar. Basicamente, ela fala sobre um relacionamento que está chegando ao fim (…) Os dois querem ter uma última chance, apesar de todos os erros cometidos. E o cara nesta canção está admitindo os seus erros, pedindo desculpas e pedindo a sua última chance.”

Tanto o single como o álbum foram lançados inicialmente apenas no Japão. Lá, “Just One Kiss” atingiu a 12ª posição da Hot 100 Japan, e o CD vendeu cerca de 17 mil cópias – uma margem relativamente baixa no país. Foi anunciado o lançamento de I’m Taking Off na Alemanha, mas não se sabe isso acontecerá também em outros países.

Além de Nick Carter, o único Backstreet Boy a gravar um disco solo foi Brian Littrell, que lançou Welcome Home em 2006.

Quando você ouvir a introdução do novo single de Jennifer Lopez, não estranhe. Qualquer similaridade com “Chorando se Foi (Lambada)” não é mera coincidência. O grande hit latino do grupo Kaoma, que estourou nas rádio mundiais em 1989, foi realmente usado como sample da nova música de trabalho de Jennifer Lopez.

“On The Floor” é a terceira música retirada de Love?, o sétimo álbum de estúdio de Lopez, que deverá ser lançado ainda neste ano. No entanto, é o primeiro single lançado pela nova gravadora da cantora, a Island DefJam. A gravadora anterior, a Epic Records, já havia promovido as faixas “Fresh Out The Even” e “Louboutins”. Por causa do baixo desempenho das canções nas paradas, a Epic cancelou o lançamento de Love? e também o contrato com Jennifer.

“On The Floor” foi co-escrita e produzida por RedOne, famoso pelos trabalhos com Lady GaGa. Antes do lançamento oficial, Jennifer Lopez havia postado em seu Twitter que ela estava em estúdio com RedOne “fazendo grandes coisas acontecerem”. Finalmente, em 11 de fevereiro, o single foi oficialmente lançado.

O sucesso da faixa foi instantâneo. Nos EUA, “On The Floor” chegou a 5ª posição da Billboard Hot 100 e está no top 5 de outros 15 países – fato que não acontecia para J.Lo desde 2003. Aqui no Brasil, o single aparece por enquanto na 38ª posição da Hot 100 Songs & Tracks.

Há duas versões da música. A principal tem a participação do rapper Pitbull, e a outra é apenas com Jennifer Lopez. A versão sem o rap possui uma estrofe extra para substituir os versos de Pitbull.

Além da divulgação de seu novo CD, Jennifer Lopez está atualmente trabalhando como jurada do reality show American Idol.

Versão com Pitbull

Versão sem Pitbull

Um dos retornos mais esperados da música internacional era o de Avril Lavigne. Seu último trabalho foi o álbum The Best Damn Thing, lançado em 2007, do qual saíram os singles “Girlfriend”, “When You’re Gone”, “Hot” e a faixa-título “The Best Damn Thing”.

Em 2010, Avril Lavigne contribuiu para a trilha sonora do filme Alice In Wonderland, e lançou a faixa “Alice”. Agora em 2011, a cantora canadense está de volta com Goodbye Lullaby, o quarto disco de sua carreira, cujo lançamento mundial foi na primeira semana de março.

O carro-chefe do novo álbum chama-se “What The Hell” (em português, “Que Inferno”). Lançado oficialmente em 10 de janeiro de 2011, o novo single caiu no gosto do público por causa do ritmo uptempo e pela similaridade com “Girlfriend”.

Para Avril, “What The Hell” lembra um pouco de seus primeiros trabalhos, que puxavam para o pop-rock. Aliás, em várias ocasiões a cantora deixou bem claro que o single é bem comercial e é bem diferente do resto das canções deGoodbye Lullaby. Em uma entrevista, ela afirmou:

“[‘What The Hell’] é a música com a qual eu menos me relaciono neste álbum. Ela é divertida e engraçada. Tem uma mensagem genérica sobre liberdade pessoal. É a canção mais pop de todo o disco.”

Até agora, “What The Hell” conquistou a 10ª posição da Billboard Hot 100. Na edição brasileira da revista Billboard, o single atingiu a posição 17.

Próxima Página »